Home Notícias Vara do trabalho determina volta parcial dos ônibus em Peruíbe

Vara do trabalho determina volta parcial dos ônibus em Peruíbe

296
0
SHARE

Ainda ontem a prefeitura de Peruíbe emitiu uma nota afirmando que o O Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região concedeu em parte a liminar de ação impetrada pela empresa Jundiá contra o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Santos.

“De acordo com a decisão, fica determinada a manutenção de 50% (cinquenta por cento) dos trabalhadores, da frota de veículos e da prestação dos serviços de transporte público coletivo em Peruíbe, sob pena de incidência de multa diária de R$5.000,00 (cinco mil reais) por trabalhador que não cumprir a ordem. A manutenção de percentual mínimo de trabalhadores e de atendimento à comunidade deve ponderar o interesse público e a possibilidade do exercício do direito de greve.

Na decisão, é ressaltado que, em cumprimento da liminar deferida parcialmente, deverá a entidade sindical dos trabalhadores zelar para que o percentual mínimo de força de trabalho seja alocado de maneira a minimizar os prejuízos ao atendimento e viabilizar o transporte público coletivo e, consequentemente, as necessidades imediatas da população.

A decisão é assinada pelo Desembargador do Trabalho do Tribunal Regional da 15ª Região – Seção de Dissídios Coletivos, Gabinete da Vice-Presidência, Edmundo Fraga Lopes.

Diante da decisão, é esperada a volta dos serviços do transporte coletivo na cidade de Peruíbe”.

Prefeito se manifesta em postagem em rede social

Ontem por volta das 23h50 o Prefeito Luíz Maurício se manisfestou em sua Página no Facebook. “A Justiça concedeu, agora a noite, duas liminares para a retomada do serviço de transporte público em Peruíbe.

Como disse desde o início, a greve é ilegal e as penalidades serão aplicadas com rigor. O departamento jurídico da Prefeitura estará atuando até o fim para responsabilizar aqueles que prejudicaram nossa população com essa paralisação absurda.

Convoquei para segunda-feira reunião com representantes da empresa. Vamos tratar de um novo projeto que melhore as condições de atendimento à população e traga economia aos cofres públicos”.

 

Moradores se revoltam com prefeito nas redes sociais

Nesta mesma página do prefeito, em menos de 24 horas, muitos moradores aproveitaram para o criticarem em não ter realizado os pagamentos. Muitos não concordam com o prefeito e, acreditam que ilegal não é a greve e sim os motoristas não receberem os seus salários e ainda terem que continuar trabalhando.

Anderson Lira –Ilegal! Fica você prefeito sem receber, agora punir os coitados dos funcionários, pelo um erro seu, que não está pagando a empresa como tem que ser, contra punição, pelos erros da prefeitura”.

Samanta Estevão – “Ilegal é você não pagar o salários deles, aposto que o seu esta em dia. Que vergonha

Isis Möller – ”A prefeitura tem é que tomar vergonha e pagar, nem relógio trabalha de graça,e obrigam outros a trabalharem de graça!!! Que pouca vergonha…pra pedir aumento de IPTU pra eletisar uma cidade falida serve”.

Zenilda Góes – Ilegal seria se eles tivessem recebendo o salário em dia e mesmo assim optassem pela paralisação. Que tal pagar os atrasados aos invés de puni-los. Afinal quem trabalha de graça é relógio.

Angelina Frydman ”Coloque aqui para a população ver o pagamento desses pai de família ou será que o Sr prefeito usará isso para punir e colocar outra empresa? A população está atenta”.

Marcelo Gomes Lucio Lucio – ”Absurdo, os funcionários da Jundiá paralisaram o serviço não por que querem ,mas pelo fato da Prefeitura não honrar contratos e a empresa não se esforçar para pagar . A decisão judicial intimidando os motoristas os ameaçando de multa de 5 mil reais caso descumpram a decisão ,é abusiva, arbitrária e legitima o trabalho forçado, isso não existe e é covardia ,paguem o que é devido ,cumpra com o acordo” .

Maria Eduarda Terranova ”Correu pra justiça. Mas já depositou na conta deles o salário ?”

Luiz Nunes Anjos ”Muito bom, só que a prefeitura tem honrar com seus compromissos, porque ninguém trabalha de graça.

Willian Silva ”A prefeitura não paga a empresa, automaticamente a empresa não tem como pagar os funcionários, aí o prefeito se acha no direito de pedir um liminar para obrigar os funcionários da empresta a trabalhar sem salário… ainda bem que não votei nesse prefeitinho”.

Marisa Ribas ”É ilegal também: 1 -Atrasar o pagamento dos trabalhadores. 2- Oferecer serviço de má qualidade. 3- Deixar faltar medicamentos de uso contínuo e tantas outras falhas da administração. OS TRABALHADORES NÃO MERECEM PUNIÇÃO!”

LEAVE A REPLY