Home Notícias Petrobras desativa operações no aeroporto de Itanhaém

Petrobras desativa operações no aeroporto de Itanhaém

112
0
SHARE

A direção da Petrobras decidiu desativar todas as operações aéreas de transporte de funcionários às plataformas de petróleo a partir de aeroportos no litoral de São Paulo. Os voos de helicópteros foram transferidos este mês, em definitivo, para o Rio de Janeiro, onde agora ficam concentradas as operações à Bacia de Santos.

A estatal alega, oficialmente, redução de gastos para justificar a decisão. Em Itanhaém (SP), no Aeroporto Estadual Antônio Ribeiro Nogueira Jr., a companhia investiu R$ 14 milhões na última década para modernizar um terminal voltado a 600 voos anuais com destino às plataformas de petróleo Merluza e Mexilhão.

Aeroporto de Itanhaém, SP, teve operações da Petrobras desativadas (Foto: Divulgação/Prefeitura de Itanhaém )

As operações da estatal em Itanhaém, entretanto, foram interrompidas em 16 de fevereiro deste ano, depois que a nova administradora da instalação, a concessionária Voa SP, desativou a brigada de incêndio. Por regra da companhia, a Petrobras somente opera voos em terminais que possuam equipes de emergência.

Economia?

O diretor do Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro) do Litoral Paulista, Fábio Mello, afirmou que a entidade solicitou as planilhas de gastos à Petrobras para entender o quanto a companhia vai economizar com a transferência das operações aéreas ao estado vizinho.

“O trabalhador, agora, precisa sair de Santos, ir de carro para São Paulo, pegar um voo até o Rio de Janeiro e, depois, ser levado até Jacarepaguá. Na ponta do lápis, não parece existir economia. Queremos entender o que está acontecendo. Para nós, trabalhadores, não há qualquer tipo de vantagem”, reclama.

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Itanhaém, Eliseu Braga Chagas, diz estar preocupado com o prejuízo repentino das operações na cidade. A pasta tenta quantificar o quanto o município vai perder sem as operações aéreas e, também, a passagem de funcionários pela rede hoteleira e de serviços na região.

“Entendemos, claro, a situação crítica pela qual a companhia está passando. Entretanto, é quase descabível ver que foi investido mais de R$ 14 milhões no terminal, que será abandonado. Eu questionei sobre isso durante uma reunião com eles, que não souberam me responder. Toda a região perde”, lamenta.

Fonte: G1 Santos e Comunicação Prefeitura de Itanhaém

Postagem: Lucas Galante

LEAVE A REPLY