Home Notícias DIG prende ex-vereador e outros 17 ligados a organização criminosa em Itanhaém

DIG prende ex-vereador e outros 17 ligados a organização criminosa em Itanhaém

519
0
SHARE

Policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itanhaém prenderam 18 pessoas ligadas a uma organização criminosa, em uma operação realizada  na última sexta-feira (28). Entre eles, está o ex-vereador Fabiano de Souza Silva, que já foi vereador em Itanhaém e atualmente exercia o cargo de chefe de gabinete na Secretaria Municipal de Habitação.

Segundo informações apuradas pelo G1, a ação foi comandada pela delegada Evelyn Gonzalez com o apoio do chefe da investigação Mario Augusto. Segundo ele, a quadrilha estava sendo investigada há quatro meses com o apoio do promotor de justiça Romildo da Rocha Sousa. Nesta sexta-feira, com o apoio de equipes de Santos, os policiais cumpriram das ordens de captura e os mandados de busca e apreensão.

“Eles trabalhavam com o tráfico de drogas, resolviam problemas da facção criminosa na região e estavam tentando implantar um transporte clandestino. Foram 17 pessoas presas em Itanhaém e um preso em São Paulo, o Gustavo Massao Nagatomo, o ‘Cocão’, do segundo escalão da organização criminosa”, afirmou o investigador.

Segundo a polícia, o ex-vereador estava em negociação com integrantes da quadrilha. Fabiano iria articular um transporte clandestino de cargas de sete toneladas de filé mignon e 830 sacas de feijão e receberia benefícios por isso. “Ele negou tudo, falou que tentou negociar mas não tinha envolvimento nenhum. Vamos continuar investigando”, disse Augusto.

Dos 18 presos, um foi deles foi levado para o CDP de São Vicente e os demais para a cadeia pública de Peruíbe, assim como Fabiano. As equipes da DIG cumpriram mandados na sala de Fabiano, dentro na Secretaria de Habitação, e também na Secretaria de Trânsito. O computador do ex-vereador e vários documentos foram apreendidos e serão analisados.

A Prefeitura de Itanhaém disse que desconhece que o chefe de gabinete estava envolvido em ações criminosas. Fabiano era funcionário comissionado e a administração pública, após a prisão, resolveu afastá-lo do cargo.

Fonte: G1
Postagem: Lucas Galante

LEAVE A REPLY