Home Notícias Cuidando do meio ambiente e gerando renda

Cuidando do meio ambiente e gerando renda

369
0
SHARE

O que Maria Nazaré do Nascimento, de 70 anos, e Elza Simplício da Cruz, de 57 anos, têm em comum? Ambas trabalham como coletoras de resíduos sólidos na CoopersolReciclando, em Itanhaém, e são incumbidas de duas missões: o cuidado com o meio ambiente e a geração de renda. O trabalho pode ser de “formiguinha”, mas a determinação e o sonho de mudança são de gigantes. Ambições que têm tornado a atuação da cooperativa mais efetiva para a conscientização da população sobre o consumo que diminui e elimina impactos ambientais.

No dicionário a palavra cooperativa tem muito a ver com o esforço coletivo para alcançar um objetivo. O significado define bem o trabalho desenvolvido por elas. Nem todos sabem, mas grande parte do lixo rejeitado pela população pode ser reaproveitada. São recicladas mensalmente entre 14 e 16 toneladas de resíduos, montante que representa 0,05% do lixo domiciliar da Cidade. Hoje, 276 toneladas são produzidas mensalmente em Itanhaém.

”As pessoas precisam se conscientizar de que a responsabilidade de cuidar do planeta é de todos. Muitos dos resíduos sólidos urbanos (lixo domiciliar) podem ser reciclados e acabam indo direto para o aterro sanitário”, explica a ex-catadora de lixo e coletora de resíduos sólidos, Elza Simplício da Cruz, de 57 anos, que acredita que um dos desafios é convencer a população sobre a importância de reciclar. “Temos que unir esforços para a formação de hábitos mais sustentáveis”, completou.

Fundada em 2009, por ex-catadores de lixos, a cooperativa tem possibilitado destinação mais adequada aos resíduos sólidos, com impactos ambientais menos nocivos. Antes de por em prática, – eles – os coletores – participaram de capacitação que ensinou o manejo correto dos materiais e, hoje, lucram com a venda dos resíduos a empresas especializadas nesse segmento, em atendimento ao que determina a lei nº 12.305, de Política Nacional de Resíduos Sólidos, que propôs o fim dos lixões e a logística reversa.

A aposentada Maria Nazaré do Nascimento trabalha há quatro anos na cooperativa. Descobriu no novo emprego procedimentos para melhorar as condições do planeta. “Quando cheguei aqui, não sabia separar os resíduos e que existia uma técnica para isso. A cooperativa tem um papel imprescindível para o meio ambiente, além de ajudar na geração de renda”, ressalta. Ela explica que a ação tem mudado hábitos da família. “Quando surge um tema relacionado ao meio ambiente, minha mãe, de 90 anos, está sempre antenada”.

GESTÃO MUNICIPAL – A Secretaria Municipal de Serviços e Urbanização deslocou veículos para aumentar a coleta dos materiais – papelão, plástico, vidro, cobre, óleo de cozinha – recolhidos nas residências cadastradas na cooperativa. Um levantamento da própria Prefeitura apurou que cerca 3.500 pessoas (equivalente a 800 domicílios) separam o resíduo na Cidade. O número ainda é bastante inferior à quantidade de moradores de Itanhaém que, segundo o Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), chega perto de 100 mil habitantes.

“O ideal é fazer com que a população entenda a importância da separação de resíduos recicláveis na sua residência e, o mais importante, procure saber o destino desses materiais, não simplesmente colocá-los na calçada de casa. A cooperativa possibilita a ação social e a geração de renda para essas pessoas”, endossa a responsável pelo Departamento de Saneamento Básico, Ângela Maria de Andrade Cantinho Silva.

A Prefeitura, por meio do programa de Saneamento para Todos, do Governo Federal, construiu uma unidade no bairro do Jardim Oásis e equipou o centro de triagem com diversos equipamentos, entre eles: prensas enfardadeiras, carros plataformas, empilhadeira hidráulica, balança e 300 big bags (sacolas grandes).

O recurso arrecadado com a venda dos materiais chega a R$ 6 mil e é dividido entre os 12 cooperados. Os produtos são comercializados por quilo e variam de R$ 0,10 a R$ 5,00.

As pessoas que quiserem se cadastrar na cooperativa o telefone para contato é o 3427-6470. O projeto funciona de segunda a sexta, das 7h30 às 17 horas, na Rua João Andrade Júnior, 400, no Jardim Oásis.

Fonte: Assessoria de Comunicação Prefeitura Itanhaém

Postagem: Lucas Galante

LEAVE A REPLY