Home Notícias Linha de ônibus é suspensa e prejudica usuários da região

Linha de ônibus é suspensa e prejudica usuários da região

625
0
SHARE

Uma linha de ônibus que possibilita o acesso dos usuários a seis dos nove municípios da Baixada Santista parou de circular. Com isso, pelo menos 1.050 passageiros que utilizavam diariamente a linha 926 da empresa Valle Sul (antiga Intersul) estão com o acesso ao trabalho, estudos e consultas médicas comprometido.

A ‘dor de cabeça’ começou na virada do ano, quando a linha deixou de operar com destino a Santos, Peruíbe, Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande e São Vicente. Apesar dos usuários do coletivo terem outras opções de deslocamento, a linha era a mais amigável para o bolso. Enquanto em outros serviços a viagem (ida e volta) ultrapassa os R$ 20, com o 926 o valor pago por duas passagens é de R$ 8,60.

Além do preço menor do que o cobrado por outras operadoras, o ônibus da Valle Sul contava ainda com acesso funcional do passe livre.

Com o cancelamento do serviço, 2016 começou difícil para o estudante do curso de Análises de Sistemas Isaías dos Santos Roberto, de 18 anos. Ele mora em Mongaguá e precisa, diariamente, ir a Santos.

Logo na primeira segunda-feira (4) do ano, a caminho do trabalho, o universitário teve uma surpresa desagradável. O ônibus não apenas demorou muito mais do que o habitual, como não passou em nenhum momento.

E embora a confirmação do cancelamento do transporte tenha sido feita a ele pelo telefone, por um atendente da Valle Sul, uma ligação para a Central da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU) desmentiu tal informação e ressaltou, na ocasião, que o transporte seguia funcionando normalmente.

“Eu estranhei a demora de mais de duas horas e tive a confirmação da suspensão. A princípio eu fiquei indignado, porque não tem como isso acontecer a gente. Eu não vou trabalhar mais, porque não tem como eu pagar a ida e a volta com outra empresa, que sairia R$ 20,30, ou seja, mais de R$ 500 ao mês. E agora, como é que vai ficar? Tenho direito ao passe livre, mas vai ficar complicado, pois não tem nenhum ônibus ideal, por causa da demora, baldeação”, relatou o estudante.

Também moradora de Mongaguá, Joice Marçal de Oliveira, de 26 anos, enfrenta o mesmo dilema. Ela estuda e trabalha como a auxiliar de cobranças em Santos.

Joice afirma que utilizar outras opções de transporte resultaria em uma viagem de mais de duas horas, sem contar a baldeação. “É um sentimento de humilhação, porque a região sofre com a ausência de emprego. E por causa da ineficácia problema no transporte, somos mau vistos, porque muitas vezes chegamos atrasados e os empregadores não entendem.  Às vezes ficamos mais de três horas no ponto. A solução é pegar um similar muito mais caro e mesmo assim chegar atrasado do mesmo jeito”, desabafa.

Não foi autorizado

Questionada, a EMTU informou, por meio de nota, que não autorizou a paralisação da linha 926. E ,em uma fiscalização realizada na segunda-feira (4), constatou o não cumprimento dos horários programados por parte da própria operadora.

A empresa confirma que a Valle Sul Serviços foi autuada e solicitada a regularizar a operação. O comunicado da EMTU segue e confirma que novas fiscalizações serão realizadas na linha em questão com o objetivo de coibir procedimentos irregulares. As datas, no entanto, não foram divulgadas.

Alternativas para usuários

Ainda de acordo com a EMTU, como alternativa, os usuários podem utilizar a linha 905EX1, da Viação Piracicabana, que sai de Peruíbe com destino a Praia Grande – com integração às linhas intermunicipais no Terminal Tatico – onde possibilita o deslocamento com destino a São Vicente, Santos e Cubatão.

Outra opção oferecida pela empresa é a linha 910 (Breda), de característica seletiva, que realiza o trajeto entre Peruíbe (Terminal Rodoviário) e Santos (Terminal Rodoviário).

A expectativa, segundo a empresa, é de que até abril deste ano, o Consórcio BR Mobilidade, responsável pela operação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e das linhas metropolitanas da Baixada Santista, entregue à EMTU um plano operacional envolvendo todas as linhas intermunicipais da região que comece a funcionar ainda neste ano.

Valle Sul

Funcionários da empresa Valle Sul não foram encontrados para comentar o caso. Porém, durante a apuração, a Reportagem confirmou que o serviço ao transporte da linha informada foi realmente cancelado, desde o dia 1º deste mês, sem previsão de voltar operar. Por telefone, uma atendente da Valle Sul afirmou que a empresa ainda não teria recebido a notificação da EMTU sobre a situação.

Fonte: www.atribuna.com.br
Postagem: Lucas Galante

LEAVE A REPLY